Tag Archives: slow fashion

Os bastidores do ateliê da Honey Pie

Ao comprar uma roupa, dificilmente paramos pra pensar nas inúmeras etapas que aquela peça passou durante sua confecção – afinal, fala-se muito pouco desse processo e é quase impossível saber de onde vem determinado tecido ou exatamente onde foram produzidas as tais peças. No entanto, a preocupação do consumidor com aquilo que ele compra tem aumentado nos últimos anos. Assim surgiu o conceito da Honey Pie: exclusividade e transparência.

Por dentro do ateliê da Honey Pie: fachada

Fachada da Maison, espaço mais reservado para receber clientes, realizar eventos e que também abriga o ateliê

Controle sobre a produção

A Honey Pie é uma marca nova no mercado: nasceu em 2010 nas mãos da estilista Alexandra Spallicci, que começou fazendo algumas peças para amigas e conhecidas. O grande diferencial da marca está na preocupação com o processo pelo qual passam as peças: além de concentrar toda a produção dentro da própria Maison, Alexandra optou por trabalhar apenas com tecidos produzidos em terras brasileiras, mesmo que para isso tenha que pagar um pouco a mais. “Trabalhamos com uma grande variedade de tecidos: malhas, couros, sedas… Mas só compramos de empresas que produzam tudo aqui no Brasil. Além disso, não terceirizamos nem importamos de países como a China. Só assim consigo ter total controle sobre o que eu estou comprando, de que não passa por trabalho escravo”, relatou a estilista.

Por dentro do ateliê da Honey Pie: costura

Nada é terceirizado: toda a produção acontece dentro do ateliê

Por dentro do ateliê da Honey Pie: tecidos

Os tecidos são armazenados em temperaturas baixíssimas, que é a melhor forma de conservá-los

Honey Pie: Slow Fashion

As peças são produzidas apenas em pequenas quantidades, prezando pela exclusividade de quem veste a marca. Dessa forma, é possível prestar mais atenção aos detalhes e fazer um acabamento impecável. “Produzimos cerca de 12 peças de um mesmo modelo. É um trabalho quase artesanal”, comenta Alexandra. A grife também não trabalha com o sistema de coleções Verão/Inverno. Novas peças chegam às araras todas as semanas, conforme a demanda. Aliás, lembra que a gente falou aqui de consumo consciente e a sua relação com o nosso momento atual?

Uma curiosidade? A Honey Pie não faz liquidações – nunca! “Alguns consumidores tem dificuldade de entender o nosso preço, acham alto. Só que o custo de manter toda a infraestrutura e trabalhar com profissionais especializados também é alto. Por isso, pra mim não vale a pena produzir modelos pra vender no final da coleção por um terço do preço. Como meus desenhos não seguem tendências, a mesma peça produzida há um ano atrás mantém o valor”.

Por dentro do ateliê da Honey Pie: Alexandra Spallicci estilista

Na mesa da estilista, várias amostras de tecidos e seu inseparável caderno de desenhos, em que ela cria não somente os modelos, mas também as estampas

Por dentro do ateliê da Honey Pie: modelagem

A ficha técnica dos produtos

Na modelagem

Os desenhos da estilista são encaminhados diretamente para a modelista, que literalmente o transformam em realidade. O primeiro passo é construir moldes em papel craft, que auxiliam o profissional na hora de cortar o tecido. É importante também que haja planejamento na distribuição das peças para fazer o corte, de forma a minimizar o desperdício. “A gente procura aproveitar cada pedacinho que sobra. Um retalho pode virar uma gola, um punho ou até mesmo um detalhe pequeno numa peça”, dividiu Alexandra Spallicci.

Por dentro do ateliê da Honey Pie: modelagem

A primeira etapa da modelagem: são criados moldes para cada modelo em papel craft

Por dentro do ateliê da Honey Pie: modelagem

Uma vez prontos, com esses moldes é possível reproduzir qualquer peça sem diferenças significativas

Atendimento personalizado

Dentro da Maison, Alexandra Spallicci ainda recebe algumas clientes fiéis da marca, que preferem escolher suas peças num ambiente mais reservado. Recentemente, a Honey Pie abriu a sua primeira boutique, localizada na Av. Cidade Jardim. A decoração foi feita pela própria estilista, em parceria com sua mãe, Maria Antonietta, e a artista plástica Marat. O jardim, dedicado ao lazer e relaxamento, é um dos espaços preferidos de toda a equipe.

Por dentro do ateliê da Honey Pie

O piso térreo é também utilizado para receber clientes que preferem fazer suas comprar num espaço mais reservado

Por dentro do ateliê da Honey Pie: sala de provas

A sala de provas é ampla e aconchegante, justamente para não apressar a consumidora

∴ info
Av. Cidade Jardim, 662
maisonhoneypie.com.br
@maisonhoneypie

Gostou?

Pra ficar sabendo (só uma vez por semana!) do que publicamos de mais legal aqui no Costanza Who,
clique aqui e cadastre seu email na nossa newsletter