Leo Faria e a fotografia de Street Style

Numa espécie de fusão esquizofrênica entre o mundo da moda e das celebridades, a fotografia de Street Style hoje é parte fundamental da dinâmica de qualquer semana de moda. Se por um lado é possível argumentar que ela tira a atenção do que é desfilado nas passarelas, por outro a gente entende que ela é uma manifestação espontânea da moda de rua, do que funciona na outra ponta da cadeia (a comercial).

Leo Faria fotografo streetstyle

E, com isso, o Street Style criou um novo segmento que foi responsável por alavancar a carreira de vários fotógrafos. Existem os que se dedicam quase que exclusivamente a procurar os melhores cliques pelas ruas e também os que fazem dessa atividade um plus. É o caso do mineiro Leo Faria (@leofaria), que une o melhor dos dois mundos e marca presença nas principais semanas de moda. “Meu passaporte está recheado de carimbos dos cinco continentes, cada dia estou num lugar e com pessoas completamente diferentes. Isso muitas vezes é cansativo, mas é sempre gratificante e enriquecedor”, conta.

Conversamos com o fotógrafo Leo Faria pra entender um pouquinho mais de como ele acabou chegando no Street Style e o que faz alguém ter sucesso nessa área. Confira:

Você é formado em publicidade, certo? A fotografia já te interessava na época ou foi algo que veio depois? E a identificação com moda?

Leo Faria – Meu pai sempre foi apaixonado por foto, esse era um dos hobbys preferidos dele. Sempre vi ele registrando tudo à nossa volta… Quando cresci, me apaixonei por artes gráficas, me formei em Publicidade e Propaganda e na faculdade tive contato com a fotografia de uma forma profissional. Esse contato se estreitou quando fui trabalhar em agências e chegou ao seu ápice alguns anos depois de abrir a minha própria agência de publicidade e ter ministrado aulas de Fotografia e Criação numa universidade. Logo optei por abrir mão de tudo e me dedicar exclusivamente a fotografia e aqui estou…

Leo Faria fotografo streetstyle

A moda surgiu de forma natural e logo se tornou uma grande paixão, tão intensa quanto a pela fotografia. Muitos dos clientes que procuravam a minha agência eram relacionados à área e quando me dei conta minha agência já tinha se tornado especializada em moda.

Qual foi seu primeiro job de fotografia de moda, você lembra?

Eu vinha de sucessivas frustrações com fotógrafos que não atendiam minhas expectativas enquanto diretor de criação foi aí que optei por fazer eu mesmo. A primeira oportunidade foi a de fazer um catálogo de moda infantil de uma marca que após alguns trabalhos havia se tornado uma amiga pessoal. Não me lembro se senti frio na barriga, provavelmente sim, mas sou bastante ousado e acredito que essa ousadia é a que me fez chegar até aqui e que me fará ir cada vez mais longe.

Vamos falar de Street Style: como é que aconteceu essa transição? E hoje o que você faz mais, campanhas ou rua?

Eu não chamaria de uma transição. Na verdade vejo como uma evolução da minha linguagem fotográfica e ela se deu de uma forma tão orgânica que até tenho dificuldade de pontuá-la. Eu passei a entender o Street Style a partir da primeira semana de moda que fui acompanhar em Nova York, eram para ser minhas férias… Foi lá que tudo começou, ví fotógrafos de Street Style trabalhando, aproveitei para fazer alguns cliques e a partir daí meu relacionamento com as pessoas que frequentam essas semanas foi se estreitando e minha relação com essa linguagem fotográfica foi se aprofundando a cada temporada. Nova York, Londres, Milão, Paris, eu aproveitava para tirar férias trabalhando. Hoje virou um negócio, claro! Mas ainda não é minha principal atividade e nem é o que quero. Na verdade uso essa linguagem e experiência das ruas para as Campanhas e Editoriais que crio e são para eles que vão a maior parte do meu tempo e esforço.

Leo Faria fotografo streetstyle

Para fazer Street Style, o que um bom fotógrafo precisa saber? Quais equipamentos são essenciais pra você?

Para fazer Street Style é preciso ter controle absoluto da câmera e ter muito conhecimento de luz. Imagine que a única luz que você tem é a luz do sol, que particularmente acho a luz mais incrível de todas, mas é preciso considerar que não existe a menor possibilidade de controlar a luz do sol e isso significa que sua intensidade muda em segundos, nos obrigando a fazer ajustes constantes entre um clique e outro. Não existe a menor possibilidade de trabalhar com a câmera no automático se o objetivo é obter fotos com alguma identidade ou diferencial. Eu uso uma câmera Canon 5D Mark III ou 5D SR com lente 70-200mm F/2.8L ou 50mm F/1.2L. O único gadget que eu uso é um cartão WiFi para transferência imediata da câmera para o meu celular.

Quais são os pontos positivos e negativos da sua profissão?

Mais legal é a falta de rotina e a possibilidade de a cada dia fazer coisas diferentes. O que me desagrada é ter que fotografar coleções que eu não acredito tanto e com profissionais que eu não admiro verdadeiramente.

O que mudou na fotografia nos últimos 10 anos?
Eu fotografo há 12 anos e estou há quase 10 anos em São Paulo.As imagens que eram impactantes há 10 anos, hoje já não fazem mais sentido algum. A estética da linguagem fotográfica de moda vive em constante mudança.

 

Gostou?

Pra ficar sabendo (só uma vez por semana!) do que publicamos de mais legal aqui no Costanza Who,
clique aqui e cadastre seu email na nossa newsletter


Um comentário em Leo Faria e a fotografia de Street Style

  1. Paulo comentou:

    Interessante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *