As ilustradoras estão vindo para dominar o mundo da moda. E não sou eu quem está dizendo: o aval veio primeiro da Vogue americana, e a Ale Garattoni também já comentou sobre essa tendência do mercado logo em seguida. Na contramão da overdose de tecnologia e excesso de informação, marcas como Prada, J.Crew, Coach e Estée Lauder vêm apostando em ilustrações para divulgar seus produtos. Lá fora, Jenny Walton e Carly Kuhn são os nomes do momento. Por aqui, a gente aposta na Luisa Aguiar (@luluaguiar), que já se tornou queridinha de marcas como Tiffany, Pandora, Bô.Bo e Le Lis Blanc, para citar apenas as mais recentes.

Luiga-Aguiar_ilustração-de-moda
A convite da Farfetch, Luisa passou a manhã criando ilustrações hiper femininas das principais blogueiras de moda

Antes de se dedicar exclusivamente à ilustração, onde realmente se encontrou, Luisa criou sua própria marca de moda. “Resolvi estudar design de moda porque sempre gostei de desenhar, mas nunca achei viável ser artista plástica, era sempre algo muito distante pra mim. Fui sem ter noção nenhuma do que é ser estilista mesmo e, no final das contas, o desenho é 5% do que você faz.”

Resultado: para dar vazão a toda essa criatividade, em 2006 surgia a Prints I Like, com foco em estamparia, e que em menos de um ano já fazia parte do line-up da Casa de Criadores. “Foi uma conquista saber que meu trabalho estava um nível bacana para apresentar comercialmente. Só que as coisas aconteceram muito rápido e você acaba perdendo o foco. Eu não tinha muito planejamento e comecei a perceber que minha vida era 24h ali: eu comprava o tecido, montava a coleção, fazia prova de roupa, cuidava da oficina, instruía as meninas dos showrooms; fazia tudo. A parte que realmente me interessava, que era desenvolver as estampas, eu só fazia uma vez por ano.” Depois de cinco anos, ela tomou a decisão de fechar as portas e ficar apenas com o que lhe dava prazer: os desenhos e as ilustrações.

Luiga-Aguiar_ilustração-de-moda
Alguns dos trabalhos de seu portfólio pessoal, que também estão à venda no seu site

Tive o prazer de tomar um café com ela no ano passado, quando ela ainda estava grávida do seu primeiro filho (que hoje já tem quase um ano!), e conhecer um pouquinho da sua rotina. A conversa completa você confere abaixo:

Como é o seu dia-a-dia?

Tenho um horário bem flexível, mas depende da quantidade de trabalho, prazo de entrega. Ainda bem que nos últimos meses eu não tive tempo para nada! Mas eu passo o dia inteiro naquela rotina: acordo de manha, respondo um monte de e-mails, falo com alguns fornecedores, clientes, vou para o estúdio e desenho direto.

Como você recebe cada job? Você leva muito tempo para fazer cada ilustração?

Quando é um empresa, eu peço um briefing com alguma referência de ilustração que eles tenham em mente. Porque eu tenho um estilo próprio, mas eu consigo sair um pouco disso. Algumas marcas dão maior liberdade, outros são mais específicos, já escolhem até a cor. Depende do perfil do trabalho. Se for uma coisa mais sketch, um trabalho mais solto, de moda, eu preciso um tempo menor. Tenho feito muitas ilustrações para porta de criança, por exemplo para a Sophia Alckmin. É um trabalho muito mais demorado, porque ela quer todos os detalhes, um cenário específico e você tem que trabalhar com a fisionomia da pessoa. Quanto mais realista, mais demorado. Posso demorar até cinco dias num único trabalho.

Hoje eu faço muitos eventos de moda. Apesar de muito divertido, é um trabalho desgastante, você fica muito tempo na mesma posição. Às vezes chego a fazer 60 desenhos em um dia, tenho uns 10 minutos no máximo por desenho.

Luiga-Aguiar_ilustração-de-moda
Sophia Alckmin já se tornou fã do trabalho da artista – que depois chegou a fazer outros trabalhos pessoais para a blogueira

Quais são os pontos positivos e negativos da sua profissão?

Olha, eu tenho muito mais positivos. Negativo é a instabilidade, como qualquer empreendedor. Pode ser que esse mês tenha milhões de trabalhos e mês que vem não. Não ter essa garantia no final do mês é a única coisa ruim, é uma opção, claro.

Como todo trabalho, às vezes, você pega um ou outro que tem um pouco mais dificuldade de desenvolver ou o cliente acaba mudando de ideia, mas isso vale para todos os lugares, não tem como escapar. Outra coisa é que tem um limite na quantidade de trabalhos que eu consigo entregar. Quando tem muita demanda, não consigo terceirizar. O traço é muito pessoal, fica difícil.

Algum conselho para quem imagina trabalhar com ilustração?

Primeiro, sem preguiça. E não parar nunca. Agora eu vou precisar me dedicar ao bebê, mas se eu ficar dois meses sem desenhar, vou regredir. Só entre nessa se você gosta muito. Porque desenhar parece baba, mas é cansativo para caramba, requer muita paciência e dedicação para fazer um trabalho bem feito. Os prazos são muito curtos e você precisa manter a qualidade.

Acho importante também sempre pesquisar outros artistas, visitar as galerias, ir atrás de materiais novos, fazer cursos. Só assim você consegue encontrar um estilo próprio – coisa que eu ainda estou em busca. Nunca se dê por satisfeito e nunca ache que o seu trabalho está 100% maravilhoso, porque se não você não vai evoluir nunca.

Luisa-Aguiar_Thassia-Naves
A blogueira Thassia Naves foi outra a receber uma ilustração assinada por Luisa

3 Comments

  1. Que trabalho maravilhoso, acho tão lindo!! Adoro, antes do atual layout do meu blog tinha uma ilustração minha lá. Beijos

    • Marina Espindola Reply

      Pois é, e acho que essa coisa do manual e do personalizado está super em alta. Dá um valor diferente ao trabalho! 😉

  2. Oi Marina,
    Que bom que o ConstanzaWho voltou estava com saudade! Infelizmente estou longe de ser uma ilustradora tão talentosa quanto a Luisa, admiro muito quem consegue colocar em um desenho pensamentos, atitudes, palavras etc.
    Alias, acho que cada vez mais a ilustração e a moda estão andando juntas dando um charme extra ao dia dia fashion.

    Bjo grande e boa semana,

    Priscilla

Write A Comment

Pin It