Cristina Zanetti, consultora de moda da Oficina de Estilo

Quando se fala em consultoria de estilo pessoal, a dupla por trás do site (e da empresa) Oficina de Estilo – Cristina Zanetti e Fernanda Resende – é um case de sucesso indiscutível. As meninas, em 10 anos de trabalho, já atenderam mais de 300 clientes, e a história delas dentro da moda começou de uma forma muito diferente. “Eu sou Engenheira Civil e a Fernanda Resende, advogada. Nós tivemos trajetórias muito parecidas. A gente trabalhava, então, nas respectivas profissões de formação, porém éramos muito infelizes. Meio que sem querer, caímos num curso de Consultoria de Imagem de três meses no Senac em 2002. Após fazer o curso, nos apaixonamos pelo ramo e largamos os empregos para se dedicar somente a isso.”

Cris Zanetti consultora de moda

Há 10 anos, o mercado de consultoria de estilo era praticamente inexistente, mas isso não impediu Cris de largar um emprego que lhe trazia segurança financeira e possibilidades de crescimento para fazer o que ela realmente gostava. “Eu não tive medo – estava tão feliz e tinha me encontrado tanto naquilo que eu larguei sem olhar pra trás. É claro que para isso me organizei financeiramente. Tanto eu como a Fernanda começamos atendendo amigas e cobrando, sempre com essa ideia de trabalhar com as chamadas mulheres da vida real. Foi em fevereiro de 2003 que a gente se conheceu trabalhando como assistentes num job. A gente se identificou em relação ao trabalho e começamos a atender uma cliente juntas em maio daquele ano. Tínhamos uma cliente a cada três meses, mas queríamos tanto que não tivemos medo. A Oficina de Estilo surgiu a partir daí e fazem 10 anos desde então, 11 no ano que vem. É um absurdo como passou rápido!”

Sobre o sucesso da Oficina de Estilo

“Eu acho que sou meio Poliana, sucesso é uma coisa muito relativa. Saí do meu antigo trabalho em dezembro. Em janeiro, fui contratada por uma amiga e ela me pagou – já nessa primeira contratação eu me senti bem-sucedida. Para mim sucesso é deixar minha filha em casa o dia todo e no final do dia voltar e achar que valeu a pena. O site surgiu como um segundo passo de um e-mail marketing que fazíamos para atualizar nossas clientes sobre lançamentos de coleções, liquidações e até dúvidas recorrentes. Quando a plataforma de autopublicação estava surgindo, lá em 2006, nós resolvemos mudar para esse formato. Mas durante muito tempo, não vieram clientes de internet – essas começaram há uns três, quatro anos –, porque o trabalho era muito boca a boca. Como eu disse, fazem poucos anos que essa profissão de tornou conhecida. Antes, quando eu falava que era consultora de estilo as pessoas não entendiam. Hoje, até o taxista fala: “Que legal!”. Era algo para pessoas exóticas! Teoricamente, todo mundo sabe se vestir.”

“Dentro do nosso processo inicial de consultoria de estilo há várias etapas. Há o processo de compras personalizadas, que a gente gosta de chamar de experiência de loja. Nós achamos que mais importante do que sai na sacola é o conhecimento que a cliente adquire no provador. Também fazemos essa mesma etapa separada só para quem já foi da nossa consultoria inicial. Mas dentro da nossa filosofia, de respeitar e entender a cliente antes de sair comprando loucamente, porque isso se faz sozinha. A gente é totalmente a favor do consumo consciente.”  Vale lembrar que, ao contrário do que algumas pessoas imaginam, consultoras de estilo sérias não trabalham com parcerias com as lojas que levam suas clientes. “Nós somos totalmente contra essas comissões de loja já que nós estamos recebendo do cliente, não achamos certo receber duas vezes pelo mesmo trabalho. Temos três critérios na hora de escolher lojas para um cliente. Nós queremos que ela volte nessas lojas, portanto, o primeiro é a localização. Está perto do trabalho, de casa, ou no caminho de um para o outro? Não adianta eu levar uma cliente de Santana no Shopping Morumbi. O orçamento é o segundo. Nosso trabalho é proporcionar o melhor custo benefício dentro do valor que ela tem para gastar. E o terceiro é o estilo. O que já trabalhamos com marcas foi fazer eventos para que a gente preste consultoria durante os eventos.”

Cris-Zanetti_Oficina-de-Estilo_Costanza-Who

Sobre a parceria com Fernanda Resende

“É uma sociedade de 10 anos, e sociedade é como casamento! Nós já tivemos mais de um coaching de relação de sociedade para definir quais os potenciais de cada uma. A gente é muito complementar, mesmo. Eu acho complicado quando a dupla tem características muito semelhantes ou é boa nas mesmas coisas. Quando falamos de consultoria individual, eu gosto muito de decodificar, isto é, entender a cliente, de estudar a personalidade dela. Já a Fernanda é mais prática, ela gosta da agilidade, por exemplo, quando a cliente tem um casamento amanhã –  a Fê adora, eu odeio. Eu preciso de um tempo maior para processar as informações. Outra coisa, a Fernanda é quem escreve. O site é todo alimentado por ela. Nós discutimos os assuntos, mas quem digita palavra por palavra é ela. Inclusive, o livro também foi a Fê quem escreveu. Mesmo explorando nossas qualidades, quando uma quer se aventurar em outra área, a outra apoia muito.”

“Mas em geral a gente une forças. Uma sociedade é muito legal porque você divide todas as dúvidas, trabalhos e alegrias, mas, ao mesmo tempo, também divide a receita. É importante refletir sobre isso, não é questão de melhores amigas, tem que se complementar profissionalmente. Nós não éramos amigas quando começamos a trabalhar, tínhamos os mesmos objetivos profissionais. Hoje, sim, somos amigas. Mas nossos valores são parecidos e dentro de uma empresa isso é muito importante!”

Sobre os requisitos da profissão

“Para trabalhar com consultoria de estilo, primeiramente tem que gostar de gente porque o trabalho está mais relacionado às pessoas do que à moda. Ter paciência de compreender que as clientes são pessoas da vida real, elas vão se mexer, trabalhar, dirigir e fazer outras mil funções com aquela roupa. Não é como vestir uma modelo para uma foto. Entender, também, que são pessoas e elas são diferentes, a humanidade é sortida. Se quisermos trabalhar com pessoas, nós temos que aceitá-las do jeito que elas são. É complicado quando os profissionais querem atender clientes a partir do gosto pessoal. Você não está atendendo as necessidades de outra pessoa, mas vestindo uma boneca. Às vezes algo não é bom para mim – eu, Cristina, nunca teria no meu guarda-roupa –, mas é excelente para determinada cliente.

“Com qualquer formação você pode trabalhar com consultoria de estilo – imagina, eu fiz Engenharia Civil. É um mercado muito relacionado com moda, apesar de eu achar que não tem nada a ver com moda e muito mais a ver com psicologia, com comportamento humano. A ferramenta é roupa, mas não é moda. Há muito tempo que eu não tenho o menor interesse por moda, não sei o que foi desfilado, não leio revista do segmento etc. Eu não acompanho por não ter interesse nem tempo e, ainda assim, sou uma ótima profissional! No momento em que eu entendo a minha cliente consigo decodificar em elementos visuais o que ela precisa. Partindo desse principio, infelizmente, a gente ainda tá muito relacionado ao mercado de moda e esse é pouco profissional, na forma de cobrar e emitir notas, por exemplo. Nós, eu e a Fernanda, achamos muito importante educar o mercado para que a gente seja levada a sério”.

Em tempo: o primeiro livro delas – Vista quem você é – lançado esse ano, é must-have para quem pensa em se aventurar por essa profissão, mas principalmente para quem quer ter um gostinho do que a Oficina de Estilo oferece em poucas páginas – e muitos menos cifrões! 

 

Gostou?

Pra ficar sabendo (só uma vez por semana!) do que publicamos de mais legal aqui no Costanza Who,
clique aqui e cadastre seu email na nossa newsletter


12 comentários em Cristina Zanetti, consultora de moda da Oficina de Estilo

  1. Vanessa Vieira comentou:

    O “Quem é quem” é a minha seção favorita e esse comentário aqui é para agradecer e parabenizar. A entrevista cm a Cris Zanetti se juntou com as minhas outras favoritas, com a Camila Toledo e Tatiana Carvalho.

    Essas entrevistas abrem meu campo de visão, inclusive o profissional. Tenho vontade de trabalhar com observação+gente+imagem, e passei um bom tempo achando que queria trabalhar apenas com moda. Hoje, sei que esse é o meio, mas ser ter a cabeça afundada 100% na moda. Saber que é possível mudar, que é possível trabalhar com tudo isso, sem ter que necesseariamente acompanhar todos os desfiles, todas as criações, todas as coleções, foi uma descoberta e tanto. E um alívio. Posso gostar disso, querer trabalhar com isso, mas voltando os olhos para… tudo, e não apenas para um lugar. Muito obrigada 🙂

    • Marina Espindola comentou:

      Olha, se meu site puder ajudar uma só pessoa na área, eu já to feliz! É justamente essa mesmo a ideia da seção, mostrar a ampla gama de profissões que a moda oferece.

      Muito obrigada pelo feedback, é sempre bom saber se o que a gente está fazendo está no caminho certo ou não. E espero ter cada vez mais matérias legais e entrevistas com profissionais diferentes por aqui. Um beijo!

  2. Raquel Pedrosa comentou:

    Desde que entrei no ramo como consultora, as meninas da Oficina de Estilo são umas das profissionais que mais admiro, costumo brincar que quero ser igual quando crescer. A idéia de sair do lugar comum e realmente oferecer um serviço diferenciado que vê antes de tudo a pessoa, suas necessidades, seus sonhos, seus desejos, é fantástico. Parabéns pela trabalho! Vocês são show!

  3. As meninas da Oficina de Estilo são um super exemplo profissional e pessoal. A ética de trabalho delas se reflete em tudo que fazem, tanto com sua presença na internet (e agora no livro), quanto nos cursos ou nas consultorias. E como não poderia deixar de ser nesta entrevista também! Figuras lindas que fazem o mundo ficar mais feliz, uma pessoa de cada vez. Sou fã de carteirinha e quero ser como elas quando crescer. Beijos.

  4. Cristiane comentou:

    Adorei a matéria, Marina.
    Parabéns!

    Não tenho nem o que dizer sobre a Cris Zanetti e Fe Resende. Acompanho o blog desde 2007-2008 e cada vez me identifico mais com o que elas defendem. Também tive o prazer de conhecê-las e comprovar o profissionalismo e seriedade delas, além de serem muito, mas muito queridas!

    Beijos

  5. Pingback: 4 coisas que aprendi na minha (breve) carreira » Costanza Who

  6. Pingback: Vitrine Virtual | A vitrine mais completa da internet! » Arquivos » Vale a leitura: Costanza Who?

  7. Pingback: ConaStyle : congresso de estilo online (e gratuito!) - Costanza Who

  8. vanessa mingossi pires comentou:

    Bom dia, quero agradecer e elogiar o trabalho bacana de vocês e também dizer que estou no processo de trabalhar com consultoria, uma vez que sou concièrge e atendo vários perfis de clientes. Obrigada, Van

    • Marina Espindola comentou:

      Oi Vanessa, tudo bom?
      Que legal que você curtiu o blog – ficou super feliz com o feedback. As meninas do Oficina de Estilo são ótimas, né? 🙂
      Um beijo,
      Marina

  9. Pingback: Sobre porquê e como compramos - com Cris Zanetti do Oficina de Estilo - Walking on the Street

  10. Pingback: Sobre porquê e como compramos - com Cris do Oficina de Estilo - Walking on the Street

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *