O poder do básico: as camisetas da Gala

Se há alguns anos o sonho de consumo máximo era ter um closet enorme, capaz de abrigar centenas e centenas de opções, hoje a tendência é justamente o oposto. Armários enxutos e muito bem editados fazem a cabeça das mais antenadas, que valorizam muito mais a praticidade do dia-a-dia. É com esse mindset que ganham força as marcas que apostam em itens básicos, porém com qualidade premium.

É exatamente essa a proposta da Gala. A jornalista Carolina Machado, que já foi editora de moda da Estilo, convocou a amiga Tatiane Martins e juntas lançaram uma marca de camisetas básicas, mas com caimento impecável e um toque delicioso. “O básico não deve ser comum e muito menos descartável. Uma peça de má qualidade prejudica de cara o visual”, defende Carol. Pouco mais de um ano após a inauguração do e-commerce, elas já somam 11 pontos de venda e 18 modelos diferentes. Ufa! Conversamos um pouquinho com ela para entender como esse processo de se aventurar no mundo da criação:

O poder do básico: as camisetas da Gala Basic Wear, das sócias Carolina Machado e Tatiana Martins

A ideia da Gala surgiu de uma dificuldade sua em encontrar camisetas básicas e de qualidade, é isso?

Carolina Machado – Antes da Gala, era editora de moda e mesmo conhecendo e tendo acesso à muitas marcas, tinha dificuldade de encontrar camisetas básicas com conceito. Não só pra mim, que sou adepta ao estilo básico, como para reportagens editoriais de moda. O que a princípio parece óbvio, quando realmente precisamos de uma camiseta básica bacana e com qualidade não sabemos onde comprar. Tem, mas elas estão diluídas entre as marcas. Eu e minha sócia, a Tatiane Martins, buscávamos algo para empreender, queríamos ter o nosso negócio próprio, além de qualidade de vida. Juntas, decidimos tocar a ideia de ter uma marca segmentada focada em básicos.

Já tinha tido alguma experiência desse outro lado da indústria, como criadora? O que rolou de mais difícil? Qual foi o inve$timento inicial?

Como criadora, nenhuma das duas tinha. Mas eu trabalhei muito anos com moda, e também conhecia as necessidades do mercado e do consumidor. As ideias são todas nossas e temos um estilista que as coloca no papel. Antes da peça entrar na coleção, aprovamos minuciosamente a modelagem. Não oferecemos apenas camisetas básicas, mas com um corte diferenciado e material de qualidade. No showroom, usamos muito uma frase “Make it simplebut significant”, emprestada do personagem Don Draper, do Mad Men. Antes de lançar a marca, foram 6 meses de pesquisa e dedicação total. Acredito que o mais difícil foi encontrar a matéria-prima. Pensamos em importar do Peru, mas queríamos estar perto da nossa produção, ter controle de todo o processo e saber quem são as pessoas que se tocam nossas peças, além de ter um produto 100% nacional. O Brasil tem excelentes malharias e um algodão muito bom. Trabalhamos também com uma malha ecológica e o micromodal. Nosso investimento inicial foi cerca de R$ 150 mil,  mas não parou por aí.

O poder do básico: as camisetas da Gala Basic Wear, das sócias Carolina Machado e Tatiana Martins

As amigas Carolina Machado, que já foi editora de moda da revista Estilo, e Tatiana Martins

Na primeira leva, quantas unidades vocês produziram quantos modelos diferentes?

O foco do primeiro ano era nos firmar como uma marca de camisetas básicas, por isso a princípio lançamos coleções fixas e enxutas, com os modelos mais “clássicos” e apenas cores neutras. Apesar disso, tínhamos em média 36 opções, entre cores, modelos e tecidos. No começo trabalhamos a ideia de que tudo que estava ali poderia ser sempre encontrado no site. Logo de cara tivemos uma aceitação ótima, não só nas capitais, mas em todo Brasil. O trabalho de divulgação também foi muito importante, pois não adianta você ter uma produto legal, se as pessoas não ficarem sabendo. Rolou muito mídia espontânea, de blogueiras principalmente,  mas o boca a boca também é maravilhoso. Nos demos conta que a marca “estava dando certo” e que estávamos no caminho certo, quando notávamos que muitos clientes, a maioria, que fizeram a primeira compra retornaram, uma, duas, três vezes…

Como são itens básicos, não tem um grande número de lançamentos ou novidades. Como manter a consumidora voltando?

No primeiro ano trabalhamos o fixo, o basicão. A cliente tinha muita novidade para voltar. Agora a estratégia muda, o fixo permanece e teremos lançamentos sazonais, além de algumas novidade pinceladas durante o semestre. Desses lançamentos alguns itens entrarão para a grade fixa e outros não.

Qual é a estrutura de vocês? Têm um escritório ou trabalham de casa?

Temos um showroom em Campinas, localizado no bairro Cambuí, que também é nosso estoque e escritório. Não temos as portas abertas, mas a cliente pode nos visitar com hora marcada ou retirar a compra aqui.

O poder do básico: as camisetas da Gala Basic Wear, das sócias Carolina Machado e Tatiana Martins O poder do básico: as camisetas da Gala Basic Wear, das sócias Carolina Machado e Tatiana Martins

O que vocês têm de planos para a Gala? A ideia é sempre ficar só com camisetas?

Desde o início, a ideia não era ser uma marca de camisetas, e sim uma marca de básicos, focada em poucos e bons.  Estamos em processo de desenvolvimento de novos produtos, mas sem perder a proposta básica como linha de criação. Teremos uma grande lançamento no mês de Abril, camisetas e outros. Estamos fotografando a nova campanha também. Vem muita novidade por aí.

Conheça mais histórias como a da Gala

Pode parecer uma grande coincidência, mas as melhores ideias nascem assim: quando as pessoas mais criativas captam uma necessidade e decidem fazer algo a respeito! Como a gente gostou muito do tema, nas próximas semanas também vamos contar a história de:

* Uma paulistana que abriu mão do mercado financeiro para vender calças

* Uma marca carioca que só vende espadrilles

 

Gostou?

Pra ficar sabendo (só uma vez por semana!) do que publicamos de mais legal aqui no Costanza Who,
clique aqui e cadastre seu email na nossa newsletter


Um comentário em O poder do básico: as camisetas da Gala

  1. Camila Faria comentou:

    Oi Marina, gostei de conhecer a tragetória das meninas da Gala. Realmente é um ótimo momento para investir no mercado de básicos, especialmente com essa alta do minimal, do armário cápsula e derivados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *