YSL e o smoking feminino

Através de suas criações, Yves Saint Laurent mudou a forma da mulher contemporânea se vestir, participando assim do processo de emancipação feminina da época. Não é atoa que o estilista foi um dos nomes mais importantes da moda do século XX.

Nascido na Argélia, Saint Laurent começou a demonstrar talento para moda desde a infância e a adolescência, quando fazia vestidos para sua mãe e sua irmã. Aos 16 anos ingressou na École de La Chambre Syndicale de La Haute Couture, uma espécie de curso para formar profissionais voltados para a Alta Costura. Pouco tempo depois, com 17 anos, o estilista se tornou assistente de modelagem de Christian Dior, onde tinha a liberdade de apresentar alguns croquis também, que quase sempre eram aceitos por Dior.

YSL_Costanza-Who Em 1958 a moda perdeu Christian Dior, e Yves Saint Laurent com apenas 21 anos foi convidado a assumir a direção criativa da maison. Nesse mesmo ano, o estilista criou o vestido trapézio, seu primeiro grande sucesso, e conheceu Pierre Bergé, que viria a ser seu grande amor e parceiro nos negócios. Apesar de diferente do que era esperado pelas clientes de Dior por ser uma peça de “menina-moça”, a silhueta trapézio criada por Saint Laurent se tornou febre mundial. Foi um momento tão importante na carreira do estilista que os principais jornais de Paris trouxeram a manchete: Yves Saint Laurent salvou a França.

Pouco depois do sucesso da linha Trapézio, Saint Laurent foi recrutado pelo exército Francês para lutar na Guerra de Independência da Argélia, onde acabou indo parar em um hospital psiquiátrico por apresentar quadros de estresse. Ao retornar para França, o estilista descobre que foi demitido da Dior e com a ajuda de Pierre Bergé inaugura a YSL, sua marca própria. Ano após ano, o estilista se firmava no mundo da moda com peças práticas e sofisticadas, principalmente em 1966 quando a YSL foi a primeira maison de alta costura a adotar uma coleção prêt-à-porter, com peças de bom corte, qualidade e preço mais acessível.

A grande guinada da marca YSL também veio em 66, quando o estilista lançou o smoking feminino. Chamada “Le smoking”, a peça representou uma revolução na moda, pois sinalizou uma mudança na forma em que as mulheres se vestiriam dali em diante. Na época, as mulheres eram proibidas de entrarem de calça em muitos hotéis e restaurantes, hoje há atrizes que vestem os smokings YSL em tapetes vermelhos. Como foi dito por Pierre Bergé: “Chanel deu liberdade às mulheres. Yves Saint Laurent lhes deu poder.” Desde a sua criação, o smoking fez parte de todas as coleções da marca.

Yves Saint Laurent foi tão significativo para o mundo da moda, que ganhou uma super homenagem na final da Copa de 1998 na França. Modelos entraram no estádio vestindo suas principais criações ao longo dos anos criando no campo a logo da YSL. Além disso, ele foi o primeiro estilista do mundo a ganhar uma exposição com suas obras no museu do Louvre. Em 2002 Saint Laurent se despediu de sua carreira após 70 coleções e 200 desfiles, deixando um legado enorme de contribuições para o mundo fashion através de uma moda a favor da emancipação feminina.

*Por Gabriela Cabral, em colaboração ao Costanza Who

 

Gostou?

Pra ficar sabendo (só uma vez por semana!) do que publicamos de mais legal aqui no Costanza Who,
clique aqui e cadastre seu email na nossa newsletter


2 comentários em YSL e o smoking feminino

  1. Gostei muito do conteúdo, vou indicar para meus amigos.

  2. Pingback: Anos 60: a liberdade e a mini-saia – Katia viana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *